Dependência química é tema de audiência pública na Assembleia Legislativa

Para discutir a dependência química e o apoio que as casas de recuperação e as comunidades terapêuticas precisam, será realizada na próxima segunda-feira, 19, às 10h na Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), uma audiência pública sobre o tema. O autor do requerimento que originou o evento é o deputado Soldado Sampaio (PCdoB). Ele explicou que a base para as discussões será o fato de que a dependência causa distúrbios e a perda do controle sobre o uso de substâncias como álcool, tabaco e outras drogas.

“Quem está passando por este problema, pode ser considerado doente e necessita de tratamento”, disse Sampaio, comentando que essa é a terceira audiência pública que acontece na Assembleia, sobre este tema. “Precisamos focar na recuperação do dependente, pois sabemos que a dependência química é uma doença e não podemos ignorar essas pessoas, mas sim recuperá-las”, explicou o parlamentar.

Sampaio disse ainda que as discussões serão voltadas também para o apoio que as entidades que atuam na recuperação dos dependentes químicos precisam. “Vamos cobrar de fato o cumprimento das metas estabelecidas pelo governo estadual, para que estendam a mão a estas entidades, pois elas precisam de apoio”, considerou o deputado, ao reafirmar que essas instituições precisam do governo e da sociedade para trabalharem com eficiência e conseguir resultados positivos nesta causa.

Os temas, segundo a proposta da audiência, estão divididos entre a dependência química e saúde pública; responsabilidade social do Estado; reflexos das ações das comunidades terapêuticas no Estado de Roraima; dificuldades das instituições do terceiro setor que trabalham com acolhimento e internação de dependentes, e as atuações dos poderes Legislativo e Poder Judiciário, além do Ministério Público, no enfrentamento da dependência química.

No documento que formaliza a audiência pública, estão convidados representantes da Setrabes (Secretaria Estadual do Trabalho e Bem Estar Social, Sesau (Secretaria Estadual de Saúde), Coordenação Estadual de Vigilância Sanitária, MPE (Ministério Público Estadual), secretarias municipais de Saúde (Boa Vista e Interior), além das comunidades terapêuticas Casa do Pai, Fazenda Esperança, Agapão e Alto Refúgio.

Fonte: SupCom/ALE-RR

Deixe uma resposta