Ministério da Agricultura libera verbas para combater mosca da carambola em Roraima

Fiscal observa manga com praga da mosca da carambola.
Fiscal observa manga com praga da mosca da carambola.

Brasília – O ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento liberou nesta terça-feira ( 8 ) R$ 850 mil para o combate a mosca da carambola em Roraima. O anunciou foi feito pelo senador Romero Jucá (PMDB/RR) durante discurso no plenário do Senado. “ Estive com a ministra Kátia Abreu recentemente fazendo diretamente esta pedido, pois nossos produtores sofrem com esta praga que atinge as plantações de frutas no estado. Com isto, fica difícil a venda e bons preços para nossa produção”, explicou o senador.

Em Roraima, as ações de combate a mosca-da-carambola é desenvolvido pela Superintendência Federal da Agricultura e pela Agência de Defesa Agropecuária de Roraima – Aderr.

Jucá explicou ainda que o programa, do Ministério da Agricultura,  visa  estabelecer uma política internacional de monitoramento e controle da mosca-da-carambola na Guiana, Guiana Francesa, Suriname, Venezuela e Trinidad e Tobago, e incluir vigilância permanente nos portos e aeroportos das regiões indenes a fim de gerenciar o risco de dispersão.

Programa Nacional de Combate às Moscas-das-Frutas

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, vai investir  R$ 128 milhões até 2018 para o Programa Nacional de Combate às Moscas-das-Frutas. A praga causa prejuízo de cerca de US$ 120 milhões ao ano, entre perdas de produção, custos de controle, processamento e comercialização.

O Ministério vai investir R$ 10 milhões ao ano para implementação de sistemas de mitigação de risco e programas de erradicação, além de R$ 6 milhões anuais para o subprograma de erradicação da mosca-da-carambola.

Por meio de convênio com estados, serão repassados mais de R$ 20 milhões, entre 2015 e 2016. Já a iniciativa privada vai cooperar com R$ 6 milhões por ano, por meio da Abrafrutas. O investimento total somará R$ 128 milhões até 2018.

As principais espécies da mosca-das-frutas no Brasil estão nos estados de Roraima, Pará e Amapá, no Vale do São Francisco e na região sul, com prevalência da mosca-do-mediterrâneo (Ceratitis capitata, que ataca principalmente acerola, manga, goiaba, uva e citros), Anastrepha obliqua(manga, cajá-manga e mamão), Anastrepha fraterculus (maçã, pêssego, mamão, citros, pera, goiaba) e Anastrepha grandis (melão, melancia, abóbora).

Além dessas, uma quinta espécie ocorre em algumas regiões do Brasil e está em processo de erradicação, a mosca-da-carambola (Bactrocera carambolae), que, além da carambola, ataca mais de 50 plantas.

Deixe uma resposta