PARLAMENTO AMAZÔNICO: Brito Bezerra sugere moção de repúdio contra presidente da Funai

Entrevista_Moção_de_RepúdioA ausência do presidente da Funai (Fundação Nacional do Índio), João Pedro da Costa, na reunião do Parlamento Amazônico na Assembleia Legislativa de Roraima, que acontece nesta quinta-feira, com a presença de deputados da região Norte, levou o deputado estadual Brito Bezerra, Líder do Governo, a sugerir uma moção de repúdio.

Segundo Brito, os problemas do Estado de Roraima estão sendo debatidos com deputados que compõem o Parlamento Amazônico e a expectativa do encontro, que encerra às 17h desta quinta-feira, são de unir esforços para resolver os problemas mais sérios enfrentados em Roraima, como a questão energética, demarcações de reservas e a corrente na BR-174, que impede o acesso de motoristas no período das 18h30 às 6h, por índios da etnia Waimiri-atroari.

“A Funai está fugindo do debate e o presidente foi convidado. Ele deveria estar aqui, pois estamos num Estado da região Norte, onde proporcionalmente, que mais tem área indígena. As questões indígenas, patrocinadas pela Funai, e não pelos indígenas, são as que mais emperram o desenvolvimento do nosso Estado”, disse ao explicar as questões que estão na pauta da reunião do Parlamento Amazônico.

“A demarcação do parque Nacional do Lavrado, onde estamos trabalhando para que o ICMBio [Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade] e Funai, aceite que seja feita a dupla afetação e demarcado numa área indígena, como a Raposa Serra do Sol, que possui o bioma lavrado e atende as especificações do decreto presidencial que transfere as áreas da União para o Estado. A Funai não poderia se furtar em não estar aqui para dá uma satisfação ao povo roraimense”, reforçou.

Outro ponto destacado pelo parlamentar é a questão da corrente localizada na BR-174, que impede o diretor de ir e vir do cidadão brasileiro. “Direito esse constitucional e a Funai não está aqui para discutir e prestar esclarecimentos”. Já a questão energética, segundo o Líder do Governo, a conclusão Linhão do Tucuruí, é primordial para a independência do Estado de Roraima.

“A nossa energia vem da Venezuela que não é confiável e não atende mais a demanda. Temos termelétricas caríssimas ligadas e o Governo Federal vem ajudando, ou seja, patrocinando um valor elevado, e nós podemos estar ligados ao sistema nacional”, justificou ao lamentar que Roraima é o único Estado da Federal que não faz parte do SIN (Sistema Interligado Nacional).

“Roraima vem sofrendo esse prejuízo por omissão da Funai e até mesmo falta de ação do Governo Federal, que deve ser enérgica e deve dá satisfação ao povo, e deixar claro que Roraima é um Estado produtivo, pois fazemos parte da federação brasileira e merecemos a consideração do Governo Federal. A Funai que patrocina o entrave do crescimento econômico do nosso Estado”, relevou ao justificar a moção de repúdio sugerida em protesto a ausência do presidente da Funai.

PARLAMENTO – O Parlamento Amazônico é um segmento do Poder Legislativo e congrega nove estados da região Amazônica, para tratar questões principais, na tentativa de resolver os problemas relacionados por cada estado representado. Na eleição da nova diretoria, houve um entendimento político, quando Roraima foi contemplado com cinco cargos.

Acesse o site: http://goo.gl/2w22LH

Deixe uma resposta