BOA VISTA: Prefeitura reforça ações de controle do Zika Vírus após confirmação do primeiro caso

aedes_aegyptiA confirmação do primeiro caso de Zika Vírus em Boa Vista deixou as autoridades de saúde alertas no município. Após exames laboratoriais, a doença foi confirmada em uma mulher de 53 anos, moradora do bairro Tancredo Neves, zona Oeste de Boa Vista. É o primeiro caso de transmissão local do vírus, que é transmitido pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo vetor da dengue e da chikungunya.

Após a notificação da doença, em julho, o Centro Municipal de Controle de Zoonoses foi comunicado imediatamente e fez o bloqueio da área para evitar novas transmissões. As ações incluíram a eliminação de possíveis criadouros do mosquito e borrifação de inseticida. Em toda a capital o trabalho segue com a visita dos agentes de endemias às residências a cada 45 dias.

Médicos e enfermeiros do Programa de Estratégia em Saúde da Família serão capacitados para agilizar a identificação de casos da doença. As unidades sentinelas (Hospital Geral de Roraima, Hospital da Criança Santo Antônio e Policlínica Cosme e Silva) continuarão com o trabalho de identificação de possíveis casos de Zika, e assim reforçar o planejamento das ações de prevenção e controle da doença.

“O vírus já está circulando em Boa Vista. É uma doença nova, as pessoas estão suscetíveis. Nós vamos notificar os casos que apresentem os sintomas e monitorar para saber a distribuição deles, onde tem a ocorrência maior e intensificar o trabalho de vigilância para evitar a disseminação da doença”, informou o superintendente municipal de Vigilância em Saúde, Emerson Capistrano.

Alerta – Dados do último Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), realizado em julho desse ano, mostram que Boa Vista está com 10,5% de infestação do mosquito, ou seja, alto risco para a transmissão. O índice considerado satisfatório pelo Ministério da Saúde é de menos de 1% de residências com larvas do mosquito. Os bairros com maior incidência são: Olímpico, Operário e Pricumã.

Para combater o Aedes aegypti, as autoridades de saúde pedem a ajuda da população. De acordo com o coordenador municipal de Vigilância e Controle de Doenças Transmitidas por Vetores, Rogério Gomes de Lima, os agentes de endemias ainda encontram resistência de alguns moradores em manter os quintais limpos.

“A coleta regular do lixo e a retirada de galhadas das ruas pela prefeitura ajuda bastante, mas os moradores precisam eliminar de suas casas os recipientes que possam virar criadouros do mosquito. O Aedes aegypti se desenvolve em sete dias, se a população não for parceira e colaborar no combate à doença, fica bem difícil”, alertou.

Sintomas – A Zika apresenta sintomas parecidos com os da dengue e da chikungunya: febre baixa, dores musculares e nas articulações, olhos vermelhos (sem secreção e sem coceira), erupção cutânea com pontos brancos ou vermelhos, dor nas costas e na cabeça. Os sinais podem durar até sete dias. Ao apresentá-los, o paciente deve procurar imediatamente as unidades de saúde.

Deixe uma resposta