‘Rede Um Grito Pela Vida’ comemora 10 anos de atividades no país

A ‘Rede Um Grito Pela Vida’ comemora em 2017 os seus 10 anos de existência. Iniciativa da Conferência dos Religiosos e Religiosas do Brasil este organismo atua contra o tráfico de pessoas na prevenção, atenção às vítimas e incidência política, por meio de diversas atividades.

O Núcleo de Roraima, criado há quatro anos – grande parte dos integrantes da igreja católica -, vai comemorar a data com Ato Público em frente à Assembleia Legislativa de Roraima, às 17h, nesta quinta-feira, 30. Toda a população contra o tráfico humano, exploração sexual é convidada a participar. O evento é aberto, ecumênico e social.

Segundo uma das coordenadoras, Irmã Anna Maria, o gargalo que existe é a facilidade de passar pelas fronteiras que liga o estado a outro país. “Estaremos fazendo na manifestação de amanhã [30] um gesto concreto, um grito pela vida”, informou.

A irmã comentou que o grupo estadual da Rede pela Vida tem trabalhado na conscientização e prevenção. O Núcleo conta com vários parceiros no trabalho junto às vítimas e na redução de casos.

Atualmente, o tráfico de pessoas atinge 45,8 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo compreendido por meio de seis modalidades: exploração sexual, trabalho escravo, venda de órgãos, servidão domestica, mendicância e tráfico para atividades ilícitas. Entre essas realidades, a Rede atua mais incisivamente no tráfico para fins de exploração sexual, com especial atenção às mulheres, crianças, adolescentes e juventudes, por ser a modalidade e público de maior incidência.

HISTÓRICO – A Rede foi criada em 30 de março de 2007 com o apoio de 28 religiosas que depois de um curso se viram impelidas a lutar contra essa chaga social que vitima principalmente jovens mulheres e crianças. Atualmente, este trabalho conta com a colaboração de mais de 300 religiosos e religiosas de diversas congregações.

Deixe uma resposta