Sindicatos se reúnem com Deputado Xingu para apresentarem demandas à LOA

Representantes de 15 sindicatos de Roraima estiveram reunidos na tarde desta segunda-feira (19), no plenário Noêmia Bastos Amazonas, da Assembleia Legislativa de Roraima (ALERR), com o relator do Orçamento 2018, deputado Jânio Xingu (PSL), para discutirem as problemáticas enfrentadas pelas categorias.

A intenção é juntar todas as demandas para realizarem mais uma audiência pública, com a participação de secretários do Executivo. A pauta da reunião desta tarde incluiu PCCR (Planos de Cargos, Carreiras e Remunerações) de algumas áreas que estão parados e não chegaram para apreciação do Legislativo, como do Iteraima (Instituto de Terras de Roraima), isonomia salarial dos servidores, auxílio alimentação e o não cumprimento do aumento salarial 2016-2017.

Para o relator do Orçamento, é necessária que essa discussão aconteça para que a população participe do processo orçamentário do Estado. “Acho que o orçamento tem que ser discutido com a sociedade”, disse. Com o convite feito pelos sindicatos, Jânio Xingu não descartou mais reuniões como a realizada nesta tarde até a conclusão da Lei Orçamentária Anual (LOA), votado final do ano pelos parlamentares.

“Nesse momento estamos discutindo aqui parte do orçamento, como que se enquadram os funcionários do Estado que passam de 21 mil. Tem funcionário diretor da educação ganhando R$ 4,5 mil por mês, enquanto o diretor da Codesaima ganha 18 mil. Um cargo não é menos relevante do que o outro”, explicou o deputado.

Para o presidente do Sintraima (Sindicato dos Trabalhadores Civis Efetivos do Poder Executivo de Roraima), Francisco Figueiras, esse encontro serviu para mostrar que não haja diferença entre os planos, buscando uma padronização entre todos os servidores públicos. “Queremos provocar uma audiência pública mais profunda e lá será gerado um documento público para que possamos buscar, tanto no Legislativo quanto no Executivo, as melhorias para os servidores que merecem também”, complementou.

Figueiras lembrou que em 2015, todas as representações sindicais mostraram força durante a realização de uma audiência pública que lotou as galerias da ALERR. Como resultado, enfatizou a consolidação do PCCR do Quadro Geral, parado há mais de 10 anos.

Entre os pontos propostos na reunião, destacou a reivindicação do auxílio alimentação, para ser incorporado ao Orçamento do próximo ano. “Essa é uma meta de todos os sindicatos que aquelas categorias que ainda não foram atendidas pelo auxílio alimentação, que tenham”, contestou. Falou ainda sobre a revisão anual que ainda não aconteceu desde o ano passado, a falta de gratificação aos servidores do Quadro Geral e ao não trâmite de PCCRs.

Cada representante recebeu um tempo para explanar sobre as reais necessidades do grupo. Entre eles, o presidente do Sindicato dos Profissionais em Enfermagem de Roraima (Sindiprer), Melquesedeque Menezes, que ressaltou a defasagem do PCCR e a não concessão do auxílio alimentação. “Estamos aqui para ratificar as demandas com as categorias, porque o servidor quando é assistido, o sucesso é garantido”, contou.

Fonte: SupCom/ALE-RR

Deixe uma resposta