ZIKA VÍRUS: Servidores da saúde municipal recebem orientação sobre a doença

15.09.15 Capacitação da Saúde sobre a Zica Foto Vitória Barreto (2)Febre Zika é uma infecção causada pelo vírus ZIKV e transmitida pelo mosquito Aedes aegypti, mesmo transmissor da dengue e da febre chikungynya. Para que os agentes comunitários de saúde, de endemias e médicos do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) possam ter mais informações sobre a doença e saibam como diferenciá-la, a Secretaria Municipal de Saúde promoveu nesta terça-feira, 15, uma palestra para orientar os
servidores.

Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde do município, Emerson Capistrano, a doença é nova e não há medicamentos específicos para o tratamento. “A Zika é transmitida pelo mesmo mosquito que transmite a dengue e a chikungynya. Então os cuidados continuam os mesmos: evitar criadouros dos mosquitos. Precisamos da ajuda de todos para que não tenha uma epidemia”.

A agente comunitária de endemias, Laina Rodrigues, já teve a doença e acredita que o dia foi de conhecimento para todos. “Eu mesma não escapei, já até peguei a doença e, por isso, é importante que a gente receba essa capacitação. O dia foi de conhecimento, pois muitos aqui não sabem como proceder diante dos sintomas que a pessoa apresenta”, disse.

O superintende explicou que o tratamento para o Zika é o mesmo que o tratamento da dengue. Normalmente é feito apenas com o controle dos sintomas, uma vez que não existe um antiviral específico para combater a infecção. “Assim, o tratamento pode ser feito apenas com repouso, uso de analgésicos e remédios para febre, como Paracetamol ou Dipirona, por exemplo, para aliviar os sintomas e acelerar a recuperação”, explicou Emerson.

Zika – A doença é caracterizada por febre baixa, hiperemia conjuntival (olhos vermelhos) sem secreção e sem coceira, artralgia (dores em articulação) e exantema maculo-papular (erupção cutânea com pontos brancos ou vermelhos), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas. Os sinais e sintomas podem durar até 7 dias. A maior parte dos casos não apresenta sinais e sintomas e não há registro de morte associada.

Fonte: SEMUC-BV

Deixe uma resposta